Aline (Vanessa Giácomo) bola um plano perigoso para ter seu amante, Ninho (Juliano Cazarré), por perto, em Amor à Vida. Após César (Antonio Fagundes) ficar cego, a secretária resolve chamar o pintor para viver em sua casa.

“O meu marido está cego. Então vem morar comigo. Faz a mochila, leva lá pra casa hoje à noite, bem tarde, porque eu aposto que o doutor Lutero vai querer passar lá”, diz a secretária. Ninho , no entanto, não aceita o plano logo de cara: “Só tem uma coisa que me prende, gata. A pintura. Eu gosto de fazer as minhas coisas, a minha arte”.

A morena não desiste e diz: “É, se você pintar, o César vai sentir o cheiro, e vai desconfiar que tem mais alguém na casa. Eu tenho uma ideia. Faz colagem. Vamos agora mesmo comprar material. Se ele sentir o cheiro da cola, eu invento alguma coisa. É melhor do que dizer que eu virei pintora de repente”.

“Se a gente for esperto, não. Ele já fez até exame de fundo de olho e o oftalmo não percebeu nada. Agora eu só preciso que ele dê a senha do cofre pra mim. O envelope com a procuração tá lá dentro. Com a procuração a gente passa tudo pro meu nome. Até o hospital. O César sozinho tem quarenta por cento do hospital. Eu e você, Ninho, donos de quarenta por cento daquele hospital. Já pensou?”, continua a morena.

Com tantos argumentos, Ninho fica animado com a ideia. “Eu chegando lá chutando a porta. Queria só ver a cara da Paloma. E a Paulinha, aí sim, ia me admirar e não aquele babaca do Bruno. Taí, gostei. Você, garota, é perfeita pra mim”, diz ele. Que, no entanto, afirma não ter muitos motivos para se vingar de César.

A secretária não deixa o questionamento passar em branco e afirma: “Você tem um motivo mais forte do que eu e ela. Se me ajudar, pode me ter. E eu sei que você não consegue mais viver sem mim. Eu também não consigo mais viver sem você. Eu estou apaixonada!”. Os dois se beijam e se jogam no chão da sala.

Sem mais artigos