Na pele de Carlito na novela Amor à Vida, que é apaixonado por Valdirene (Tatá Werneck), o ator Anderson Di Rizzi comentou a repercussão que seu personagem está tendo nas ruas, em entrevista para o jornal Extra, publicada neste domingo (01).

“As mulheres estão apaixonadas, acham Carlito bonzinho, dedicado, fofo. Dizem: ‘Queria um homem como ele na minha vida!’, ‘É tão difícil encontrar alguém assim…’”, revelou o ator, que discorda que elas prefiram os cafajestes: “Só se for para se divertir. Para formar família, não vão querer um cara que as façam sofrer. Carlito é simples, mas incapaz de deixar uma mulher passar fome ao seu lado”.

Assim como na trama, Anderson faz o tipo de homem fiel na vida real e já sofreu muito por amor: “Se você perguntar às minhas ex, elas vão apontar mil e um defeitos em mim, mas nunca vão dizer que fui infiel. Quando solteiro, fui muito galinha, um terror, mas se estava com alguém, sempre respeitei esta pessoa. Agora, se já fui traído… nunca soube. Já tive uma namorada bem mentirosa, tipo Valdirene. E ela me fez sofrer demais. Confesso: já chorei muito por amor nessa vida…”.

Apesar da persistência de Carlito para conseguir conquistar e ficar com Valdirene, o ator acha que não agiria da mesma maneira: “Se eu fosse ele, pegaria essa persistência em relação a Valdirene e a transformaria em determinação para os outros setores da vida. Ele precisa dar a volta por cima. Acho bonito o que sente por ela, mas eu, pessoalmente, não teria essa disponibilidade para ficar esperando e sofrendo. Amo mais a mim mesmo”.

Anderson Di Rizzi sobre atitudes de Carlito: 'Não teria essa disponibilidade para ficar sofrendo'

Sem mais artigos