No dia 09 de agosto de 1969, a atriz Sharon Tate, com então 26 anos e grávida de oito meses, foi assassinada de forma brutal pela família Manson, espécie de seita liderada por Charles Manson. O crime foi um dos mais marcantes envolvendo celebridades, mas não foi o único. Outros famosos tiveram o fim de suas vidas abreviados de forma trágica.

Sharon era uma jovem atriz de carreira promissora. Tinha sete filmes, uma indicação ao Globo de Ouro, e era casada com o diretor Roman Polanski. No fatídico dia, ela estava na casa de amigos quando eles foram surpreendidos pela família Manson, que matou todos os presentes. Saharon foi morta com 16 facadas, muitas delas aplicadas em sua barriga. Charles Manson, embora não tenha participado, foi preso como mandante do crime. Ele tem 78 anos hoje.

John Lennon pregava a paz, mas embora tivesse milhares de fãs que o amavam, um em especial tinha suas ressalvas quanto ao ídolo. Mark Chapman, com então 25 anos, chegou a pedir ao cantor um autógrafo no LP Double Fantasy, no dia 08 de dezembro de 1980. Ao cair da noite, ele voltou a abordar o ídolo, mas desta vez com cinco tiros, quatro deles certeiros. Chapman ficou no local até a polícia chegar. Ele se entregou e pediu desculpas. Em suas mãos, ele trazia o livro O Apanhador no Campo de Centeio de J.D. Salinger, que segundo ele, tinha uma mensagem para matar Lennon. Ele tem 58 anos hoje.

Também emblemático, só que mais misterioso, foi o assassinato televisonado de John Kennedy às 12:30 do dia 22 de novembro de 1963. As teorias a respeito do crime são muitas, incluindo até uma versão de que ele foi morto a mando do próprio Estado, por divergências políticas. No entanto, a história oficial é uma só e diz que o assassino foi o fuzileiro naval Lee Harvey Oswald, com 24 anos na época. Entretanto, ele não teve tempo de se defender e foi assassinado dois dias depois, por Jack Ruby, dono de uma boate em Dallas. Este, por sua vez, morreu de câncer, quatro anos depois, enquanto aguardava julgamento.

Controvérsa também foi a morte, em 1975, do diretor italiano Pier Paolo Pasolini, aos 53 anos, que sempre causou polêmica com seus filmes políticos e despudorados. Seu último trabalho, inspirado na obra de Marques de Sade, Salò ou os 120 Dias de Sodoma, é niilista, pornográfico e pertubador o suficiente para que acreditem que ele tenha sido morto pelo Estado. A versão oficial diz que ele foi assassinado por um garoto de programa que tentava assaltá-lo.

No Brasil, o caso mais conhecido foi o de Daniella Perez, aos 22 anos, filha de Glória Perez. A atriz, atuava em uma novela escrita pela mãe, em 1992, quando foi assassinada por um colega de elenco, Guilherme de Pádua, e por sua esposa Paula Nogueira Thomaz, que a emboscaram e mataram com 18 estocadas de um punhal. O casal foi condenado a 19 anos, se divorciou ainda na prisão e foi solto em 1999, após eles cumprirem um terço da sentença. Guilherme de Pádua tem hoje 43 anos, é evangélico, gerente de TI e casado com uma produtora de moda, desde 2006.

Assim como estes, outros assassinatos envolvendo celebridades marcaram a história. Veja a galeria acima com outros casos famosos.

Assim como Sharon Tate, John Lennon e Daniella Perez; relembre casos de assassinatos de famosos

Sem mais artigos