Sexta-feira, 20 de Novembro, data em que é celebrado o Dia da Consciência Negra. Na noite anterior, João Alberto Silveira Freitas, um homem negro de 40 anos, foi espancado até a morte por dois seguranças brancos de uma unidade da rede de supermercados Carrefour, localizada no Rio Grande do Sul. O caso gerou revolta, protestos e repúdio de diversos famosos, incluindo Cacau Protásio, que fez um vídeo para questionar: “até quando as nossas vidas não vão importar?”

“É isso mesmo, Brasil? Mais um negro morto? Foi um adolescente, um cachorro e hoje um homem. Um negro morto dentro de um mercado. Até quando?”, indagou a atriz, citando casos anteriores que ocorreram dentro de outros mercados. “Até quando as nossas vidas não vão importar? Até quando? Hoje vamos passar o dia postando jobs que vamos fazer ou vamos falar do assunto? Mais um negro morto dentro do mercado”, lembrou.

“Até quando Brasil? Ele era João Alberto Silveira Freitas, ele tinha 40 anos”, escreveu.

Na legenda, Cacau ainda expôs o medo de ser uma pessoa negra em um país racista.

“Eu não aguento mais, tenho medo de ter filhos e não poder protegê-los desse mundo cruel, desse mundo racista, de um mundo injusto, eu tento fazer a minha parte, e você? Se te disser que não sou negra, sou Marron, você para? Quando morremos seremos igual, viramos caveira sem cor! Até quando?”, voltou a perguntar Cacau, inconformada.

Assista ao relato da atriz:

Sem mais artigos