Beyoncé se manifestou contra morte de americanos negros

Reprodução Beyoncé se manifestou contra morte de americanos negros

Beyoncé se juntou ao rapper Drake e divulgou uma carta aberta em seu site oficial protestando contra o assassinato de dois negros inocentes cometidos por policiais nesta semana nos Estados Unidos.

A cantora deixou toda sua revolta manifestada em uma convocação para protestos e resistência contra os atos de violência cometidos com tanta frequência pelas autoridades norte-americanas.

Na noite desta quarta-feira (6), centenas de pessoas foram às ruas em Louisiana pedir justiça pela morte de Alton Sterling, pai e casado, que foi morto por um policial com uma série de tiros. A ação foi gravada e nela é possível ver que Alton sequer se mexeu durante a abordagem.

Por incrível que pareça, enquanto o protesto crescia, outra abordagem policial com morte foi registrada. Em Minnesota, Philando Castile , negro de 32 anos, foi assassinado na frente de sua namorada e filha após ser parado em uma blitz. A ação também foi filmada, neste caso pela própria namorada dele.

O vídeo tem mais de 10 minutos. Nele, é possível ver que Philando avisa ao policial que está armado, mas possui licença para portar o revólver. Logo depois, o oficial pede que ele pegue os documentos pessoais e do carro. Quando ele se movimenta para tirá-los de seu bolso, o agente se assusta e atira nele.

“Estamos cansados e com nojo do genocídio de jovens homens e mulheres em nossas comunidades. Depende de nós resistir e exigir que eles parem de nos matar. Não precisamos de compaixão, mas sim que respeitem nossas vidas”, começa a cantora.

Beyoncé continua.

“Nós vamos nos levantar enquanto comunidade e lutar contra qualquer um que acredita que assassinatos ou quaisquer atos de violência cometidos por aqueles que deviam nos proteger devam ficar impunes. Esses assaltos de vidas nos faz sentirmo-nos desprotegidos e sem esperanças, mas temos que acreditar que estamos lutando pelos direitos da próxima geração, para os próximos homens e mulheres que acreditam no bem”.

Os EUA mataram 2 negros desarmados por semana em 2015

Reprodução Os EUA mataram 2 negros desarmados por semana em 2015

Ela faz questão de deixar claro que a revolta não é contra todos os policiais em geral.

“Essa é uma luta de humanos. Não importa sua raça, gênero ou sexualidade. É uma luta de qualquer um que se sinta marginalizado, que está lutando por liberdade e direitos humanos. Isso não é um manifesto contra qualquer policial, mas contra qualquer ser humano que não valorize a vida. A guerra contra pessoas de cor e minorias precisa acabar. Medo não é uma desculpa, o ódio não vencerá”.

“Todos nós temos o poder de transformar nossa raiva e ódio em ações. Precisamos usar nossas vozes para entrar em contato com políticos e juízes em nossos distritos exigindo mudanças judiciais”.

Beyoncé finaliza orientando seus fãs a enviaram mensagens e telefonarem para seus representantes no congresso e mandando suas condolências para as famílias das vítimas.

“Enquanto rezamos pelas famílias de Alton Sterling e Philando Castile, vamos rezar também para o fim dessa onda de injustiça em nossas comunidades”.

Lenny Kravitz também se manifestou
O cantor Lenny Kravitz publicou uma foto usando uma camiseta branca suja de sangue com a palavra “basta!” escrita na parte de cima em seu Instagram. O músico pediu por justiça e afirmou que “policiais ruins deixam a situação feia para policiais bons”.

lenny

 

Sem mais artigos