Márvio Lúcio, o Carioca do Pânico na Band, falou sobre as imitações que faz no programa, em entrevista para a revista Trip, deste mês de maio. Ela já apareceu de Jô Soares, Amaury Jr., papa Francisco, Dilma Rousseff e até o personagem Tufão da novela Avenida Brasil, vivido por Murilo Benício.

“Olho mão, olhar, gestual, boca. O corpo fala. A voz é o mais difícil. Penso que tenho o mesmo trabalho de um cartunista, de notar detalhes; mas sou um cartunista da vida real. E não quero ser mais um. Quero oferecer algo de arte”, disse o humorista.

Ele ainda comentou a desistência de imitar o bispo Edir Macedo: “É complicado brincar com religião e não quero polêmica”.

Já sobre as críticas de apelação que o programa recebe, Carioca deu sua opinião: “A comédia anda sempre no limite, se arrisca, e às vezes pode errar ou sair do que as pessoas estavam preparadas para aceitar. Mas sou a favor da total liberdade de expressão. Cada um fala o que quiser e o mercado absorve ou não”.

Sem mais artigos