Um salve para o governo da Austrália, que mandou muito bem na última decisão em relação ao visto do rapper Chris Brown. Ele teve o pedido negado por conta do histórico de violência doméstica e terá 27 dias para recorrer da decisão. Tanto pior para o rapaz, que estava com uma turnê marcada pelo país em dezembro – os ingressos começariam a ser vendidos ainda hoje, segunda-feira. Que pena, hein? *contém ironia*

Para quem não se lembra, em 2009 o rapper se envolveu em uma briga com a cantora Rihanna, que era sua namorada na época. A coisa foi feia e a RiRi ficou com o rosto bem machucado depois de levar vários socos do Chris Brown. Ele se declarou culpado, mas a Rihanna achou melhor não dar continuidade ao processo contra o ex. Ele conseguiu ficar em liberdade condicional depois do ocorrido.

Em 2009. Chris Brown agrediu a ex-namorada Rihanna. Péssimo, não?

Chris Brown chegou a visitar a Austrália duas vezes depois do ocorrido, mas o governo já sofria pressão para barrar a entrada do cantor de todas as maneiras possíveis. Dessa vez, o departamento de imigração da Austrália apenas informou à equipe de Chris Brown que o pedido de concessão havia sido negado, mas ele pode tentar elaborar uma justificativa BEM DA BOA para mudar a opinião dos australianos. Difícil, hein?

Michaelia Cash, ministra para as Mulheres da Austrália, teve um papel importante na decisão. “As pessoas precisam entender que se você está cometendo violência doméstica e quer viajar pelo mundo, haverá países que vão lhe dizer: ‘Você não é bem-vindo porque você não é o tipo de pessoa que queremos na Austrália”, declarou ela. Além da Austrália, a Nova Zelândia também afirmou que o rapper também não é nem um pouco bem-vindo por lá.

Se por um lado a gente passa muita vergonha com esse Chris Brown, outras celebridades nos dão orgulho e não respeitam esses manés que agridem e abusam de outras mulheres, física ou emocionalmente. Palmas para esses senhores que estão fazendo apenas a coisa certa!

Sem mais artigos