Vilões famosos na realidade e celebridades vilãs na ficção

Osama bin Laden foi assassinado no domingo (01) em Abbottabad, Paquistão. Era considerado o inimigo nº 1 dos Estados Unidos e o mentor dos atentados de 11 de setembro de 2001

Durante semanas ainda vão ser comentadas as implicações da morte de Osama bin Laden, o mais famoso terrorista de todos os tempos, morto por uma ação militar americana, no domingo (01), em Abbottabad, no Paquistão. Muitos comemoraram a morte de mais um vilão, mas outros enxergaram o saudita como um mártir. Enfim, se a América comemorou nas ruas, muitos fundamentalistas não só ficaram tristes como prometeram vingança.

O que tanto as pessoas se encantam com os vilões? Em geral, eles exercem uma certa hipnose causada pela conjunção de carisma, poder de liderança e catarse. O fascínio que o poder de um vilão exerce sobre o imaginário popular hoje – numa sociedade pulverizada pelo que é certo e errado, com as ideologias esfareladas -, é exatamente o de ser o bode expiatório de desejos profundos de alguns membros ou segmentos da sociedade.

Hoje podemos dizer que na ficção existe até um certo culto aos vilões e uma torcida para que muitos saiam impunes – quando há pouco tempo atrás existia sempre um desejo de justiça. Mas não podemos negar que na realidade, figuras como Adolf Hitler ou Josef Stalin mobilizaram multidões. E mesmo mortos há algumas décadas, eles permanceram vivos em movimentos que hoje são conhecidos como neo-nazistas e nos que – nos países do Leste Europeu – desejam a volta do antigo comunismo de linha dura.

Esse pode ser o mesmo caminho que Bin Laden pode seguir, virar objeto de culto por segmentos não satisfeitos de algumas sociedades árabes. Até porque o que é herói e o que é o vilão é uma linha muito mais tênue do que o cara ou coroa.

Adendo: É engraçado que as mulheres nunca foram grandes vilãs da História. Podemos ter uma Catarina de Médici, mas mais como exceção do que regra. Em compensação, é na ficção que elas se saem melhor como verdadeiras megeras. Sinal que no imaginário – não só masculino, muitas mulheres infelizmente são vistas como as repsonsáveis pela “nossa expulsão do Paraíso”.

O melhor é que mesmo com essa premissa misógina, as mulheres dão um banho de talento e artimanhas quando as pedem para serem más na ficção.

Veja acima a galeria com alguns vilões da realidade e as vilãs da ficção.  

 

Com a morte de Osama bin Laden, reacende o culto e o desprezo pelo vilão

Sem mais artigos