Já enfrentou problemas com drogas, distúbios alimentares e psicológicos. Sempre tem uma palavra de apoio para motivar os fãs, incluindo um livro de auto-ajuda, Demi Lovato: 365 Dias Do Ano

Divulgação Já enfrentou problemas com drogas, distúbios alimentares e psicológicos. Sempre tem uma palavra de apoio para motivar os fãs, incluindo um livro de auto-ajuda, Demi Lovato: 365 Dias Do Ano

Demi Lovato participou do programa de rádio HeartRadio’s Label Defiers with ZICO Coconut Water, com Elvis Duran. O programa é um especial para discutir como os famosos percebem seus rótulos, como enfrentaram desafios na vida e suas idiossincrasias. Durante a conversa, a cantora falou sobre um rótulo que deseja que seja arrancado e jogado fora de sua vida.

“Acho que quando as pessoas se referem a mim como uma pessoal bipolar. É algo que é verdade, eu sou bipolar. Mas eu não gosto que as pessoas usem isso como um rótulo. É algo que eu tenho, não é quem eu sou”, explicou.

Além disso, Demi contou que busca estabelecer um rótulo mais favorável e encorajador para si mesma, como “ativista”. Em 2011, com seu histórico de abuso de substâncias, transtornos alimentares e de automutilação, Lovato resolveu cuidar de si mesma e foi diagnosticada com transtorno bipolar. Desde então,  ela tem sido uma voz potente para falar sobre saúde mental e a jornada para a recuperação. “É algo que eu tenho muita paixão em fazer!”, explicou.

“Acho que é muito importante que as pessoas deem valor a importância da saúde mental, porque é algo que é um tabu”, explicou. Demi também disse que outro tema que sempre dá voz e propõe conversas é sobre o direito dos transgêneros. “Quanto mais gente souber sobre isso, mais gente estará apto a procurar soluções para tudo o que acontece com eles”, explicou.

Sem mais artigos