Cissa Guimarães, de 56 anos, perdeu seu filho caçula, Rafael Mascarenhas,
que foi atropelado enquanto andava de skate, no Rio de Janeiro, em 2010.
Entretanto, a atriz não gosta de ser vista como um exemplo a ser seguida. Em
declaração publicada nesta segunda-feira (15) no jornal O Estado de S. Paulo, ela
afirmou que não se sente confortável neste papel.  

“Detesto esse papo de superação. Realmente me irrita
quando dizem que sou exemplo de superação. Primeiro, porque não sou exemplo.
Segundo, não superei e nunca vou superar. Sou aleijada. Meu coração anda de
bengala, nunca mais vai ser um coração normal. Nunca mais vou ser 100% feliz na
minha vida, nunca mais vou ter uma felicidade plena. Mas tenho muletas, vou
andar, vou ser 80% feliz, meu coração vai bater de muleta, mas vai bater. E vou
fazer o possível para ele bater o mais forte possível. E feliz”, declarou
ela.

Em entrevista recente à revista 29 Horas, ela afirmou que o
teatro foi um grande aliado seu para conviver com a perda do filho. “As pessoas falam que eu sou forte, mas
talvez, se eu tivesse outra profissão, eu teria ficado trancada no meu quarto (…)
Mas o palco é o meu altar, e foi nele que eu me levantei”, revelou
a atriz que atualmente está em cartaz com a peça Doidas e Santas, em São
Paulo.

‘Detesto esse papo de superação’, diz Cissa Guimarães

Sem mais artigos