Dira Paes está se despedindo de sua personagem Celeste, da novela Fina Estampa, que termina nesta sexta-feira (23). Em entrevista para o jornal Diário de São Paulo, desta quinta-feira (22), ela falou sobre o que este papel lhe trouxe de bom, já que faz uma mulher frágil, que apanha do marido.

“Fui mestre de cerimônia da 3ª Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres, que contou até com a presença da presidente Dilma. Eu me senti extremamente lisonjeada de fazer uma personagem com uma responsabilidade dessas. O retorno de mulheres que passaram por isso foi enorme. Muitas vinham me agradecer por esse problema ter sido abordado tão amplamente”, disse a atriz.

Já sobre a especulação do possível final de Baltazar, marido de Celeste, interpretado por Alexandre Nero, poder ser ao lado de Crô, amigo da cozinheira e vivido por Marcelo Serrado, ela comentou: “Gente, eu ficaria arrasada se ele fosse. Arrasada! Não me recuperaria enquanto Celeste. Só se aparecesse um príncipe encantado para mim. Aguinaldo Silva (autor) provoca muito a gente. Quando ele brincou no Twitter que tinha vontade de colocar os dois tomando um drink num barco, pensei: ‘Ele quer me matar’ (risos)”.

A atriz também comparou sua atual personagem a Norminha, de Caminho das Índias: “Celeste precisa da filha e do marido emocionalmente. Tudo bem que resgatou a autoestima, mas não virou uma Griselda (Lilia Cabral), né? Ela é fragilizada. Não é o centro das atenções. Sou muito diferente da Celeste. Eu sou mais autoritária. O público tem uma tendência natural a comparar ela a Norminha. Falam: ‘Eu gostava mais da Norminha’. Claro, né? Norminha era aquele tipo que faz todo mundo olhar para ela. As duas são opostas”.

Sem mais artigos