Egoísmo no sexo faz bem, inclusive para o parceiro

Egoísmo no sexo faz bem, inclusive para o parceiro

A sentença é polêmica, e provavelmente Lily Allen vai discordar e gritar que “it’s not fair! It’s really not ok! You’re supposed to care, but all you do is take”. Pois é, mas segundo uma pesquisa que avaliou o comportamento sexual de 60 casais, os parceiros de pessoas que relacionam o sexo com seus próprios prazeres e vontades são as mais satisfeitas na cama.

Isso comprova algo que eu sempre digo quando alguma amiga diz que não consegue gozar: seja você a responsável por seu próprio prazer. Se você entende seu prazer e sabe como chegar lá, certamente em qualquer transa um orgasmo vai ser possível. Não é exatamente uma questão de egoísmo, mas de fazer sua parte para que o sexo possa fluir e se tornar um sexo bom. E fazer sua parte nem sempre tem a ver com se doar ao outro ou seguir alguma fórmula tipo dez-maneiras-de-enlouquecer-seu-parceiro-na-cama.

Os cientistas compararam respostas sobre a vida sexual de voluntários de duas faixas etárias distintas: casais com idades entre 18 e 25 anos e com mais de 30, e perceberam que apesar dos participantes mais novos terem uma postura mais egoísta no sexo, seus parceiros se diziam satisfeitos sexualmente.Enquanto os que se importavam mais em agradar não conseguiam esse resultado.

Se a princípio pensar apenas em si no sexo poderia ser interpretado como uma atitude reprovável, o caso é que os parceiros dos “egoístas” mostraram-se mais realizados do que os dos que se doavam às vontades do outro. A conclusão a que os cientistas chegaram é que quem se preocupou com os anseios do parceiro muitas vezes acabou fazendo sexo sem vontade, ou menos motivado, que os que estavam fazendo baseados na própria excitação.

Sem mais artigos