Foi-se o tempo que artistas e celebridades opinavam publicamente sobre a cena política do Brasil. Por isto, o depoimento que Xuxa fez em seu Facebook, nesta sexta-feira (08), indignada pela nomeação do pastor Marco Feliciano (PSC-SP) à presidência da Comissão dos Direitos Humanos e Minorias no Congresso, é uma exceção nos dias de hoje quando famosos sempre querem evitar polêmicas e não expor suas ideias para sempre ficarem “bem na foto”. O deputado federal é acusado de racismo e homofobia por ativistas e de estelionato no STF.

“MEU DEUS!!! Eu tava lendo agora sobre esse ‘pastor’… Que DEUS nos ajude. Gente!!!! Socorro! Vamos fazer alguma coisa! Esse “deputado” disse que negros, aidéticos e homossexuais não têm alma. Existem crianças com Aids. Para este senhor, elas não têm alma?????? O que é isso meu povo?”, escreveu a rainha dos baixinhos na rede social.

E completou: “E hoje tá nos jornais que ele ainda, durante uma pregação, disse a um fiel, que ‘doou o cartão, mas não a senha . Aí não vale. Depois vai pedir milagre para Deus . Deus não vai dar e vai dizer que Deus é ruim!!!!!!!!!’ Todo mundo sabe o quanto eu respeito todas as religiões, mas esse homem não é um religioso, é um monstro. Em nome de DEUS, ele não pode ter poder… Religiosos (padres, pastores, evangélicos), todos os religiosos, todos sabem que o que ele fala e “prega” está errado.

Xuxa ainda se interroga: “Como vamos nos proteger deste tipo de pessoa? Esta pessoa não pode ser presidente da Comissão de Direitos Humanos. Ele não pode ter este espaço para usar, pisar e denegrir o ser humano… Esse é o direito de nós, humanos, nos protegermos desse tipo de pessoa”.

Manifestações de repúdio a esta nomeação estão sendo feitas por todo o país e em Buenos Aires, na Argentina.

Sem mais artigos