Jennifer O’Neill, ex-assistente de Lady Gaga, está com um processo pedindo quase R$ 800 mil em horas extras não pagas pela cantora. A matéria é do site E! Entertainment dessa sexta-feira (01).

Gaga, no tribunal, em trechos divulgados pelo site do jornal The New York Post, disse alguns palavrões, chamando a moça, que trabalhou por um ano e meio com ela de “p… pilantra, por me processar para ganhar dinheiro que não merece”.

“Ela simplesmente pensa que é a rainha do universo. E, quer saber, ela não quis ser escrava de uma, porque, no meu trabalho e no que eu faço, eu sou a rainha do universo todo dia”, soltou a popstar.

O contrato inicial envolvia um acordo em que Jennifer ganharia US$ 75 mil por ano (cerca de R$ 150 mil) e que não haveria pagamento de horas extras. Mas a ex-empregada alega que isso viola leis de trabalho, e pede o ressarcimento por 7.186 horas a mais de serviço.

Gaga ainda contou no tribunal que, entre essas “horas extras”, O’Neill tinha o privilégio de estar nas turnês viajando de jato particular, hospedar-se em hotéis cinco estrelas, curtir festas com celebridades e amigos de Gaga, como o famoso fotógrafo Terry Richardson (citado na corte), comer em restaurantes luxuosos, relaxar em iates, usar roupas da diva e ainda ter descontos nas lojas Yves Saint Laurent.

Pra completar, a hitmaker avaliou o trabalho de Jennifer como ruim, já que ela nem ajudava a descarregar a bagagem direito e queria dormir em um das duas camas do jato particular, sem ceder esse direito a ninguém, nem a familiares de Gaga.

Sem mais artigos