Fumante durante quase 30 anos, o ator Herson Capri falou sobre sua luta contra um câncer de pulmão e seu antigo vício por cigarro em entrevista à edição de fevereiro da revista Trip.

“O que me atraía era o ato de fumar. A fumaça é uma coisa esquisita, não é legal. Mas o gesto era transgressor, significava não ser normal, ser mais velho, imitar os galãs de cinema. Fumar não é inteligente, assim como todos os vícios ligados a alguma droga. Você prejudica sua saúde, sua vida social. Produz menos, se concentra menos, enxerga menos, cheira menos, sente menos. Tudo menos. É sem sentido”, diz o ator.

E completou: “Acho que posso colaborar expondo minha experiência. Só não vou pegar uma bandeira, porque respeito muito a liberdade individual. Detesto ex-fumante chato. Se perguntarem o que acho, eu respondo, mas só isso”.

Ao comentar do câncer de pulmão que teve, ele revelou: “Apareceu exatamente no ano em que parei, mas só fui descobrir depois. Talvez por intuição. Acredito mais em intuição do que em premonição ou destino”.

Herson Capri condena cigarro e diz: "Detesto ex-fumante chato"

Sem mais artigos