Em entrevista exclusiva para a Revista Dia-a-dia, do jornal Diário do Grande ABC que estará nas bancas neste domingo (04), Herson Capri mostra que é um bom moço, totalmente diferente dos vilões que interpretou na telinha.

Ele já fez mocinhos mas para o grande público sempre vem à mente personagens como o Capitão Justo, que explorava sexualmente as meninas da minissérie Teresa Batista (1992), ou o maléfico Coronel Teodoro, que disputava as terras de José Inocêncio, interpretado por Antonio Fagundes, durante toda a trama da novela Renascer (1993). E claro, Cortez, o empresário salafrário de Insensato Coração, é seu preferido.

“Ele bateu todos os outros. É um personagem bem escrito, coerente, completamente canalha, um gângster”, diz à publicação sobre o antagonista que dividiu a opinião pública. “Os outros vilões caíam na comédia, de tão maus e bobos que eram. O Cortez não: é um gângster, um assassino. Mas tem alguma coisa que fascina mulheres e homens. Não sei explicar o que é”.

Porém o ator garante que é outra pessoa longe das câmeras: “Tento ser gentil, elegante e enxergar com a máxima compreensão possível as fraquezas dos outros”.

Herson Capri diz que seu personagem preferido foi Cortez de "Insensato Coração"

Sem mais artigos