O ator Mateus Solano participou neste domingo (26) do programa Domingão do Faustão, junto com colegas de elenco de Amor à Vida, que chega a sua reta final. Em entrevista concedida ao site da atração nos intervalos de gravação, ele falou sobre seu personagem Félix.

“Interpretar um gay foi um dos meus estímulos para fazer esse personagem. Pelo fato dele ser diferente de tudo que já tinha sido visto nas novelas e de ser um desafio. O maior desafio no início me parecia quando chegou a proposta de fazer um gay dentro do armário. Um vilão e parte dessa vilania dele vinha justamente dessa repressão que impede ele ser quem ele é. Depois, quando chegou o texto, eu vi que o desafio era ainda maior. Esse cara não era dentro do armário. Era explicitamente fora do armário. Quem estava dentro do armário era toda sociedade, aquele povo que vivia com ele, aquela família. Então, perceber isso tudo a cada texto que vai chegando é um desafio. O Félix nunca deixou de me desafiar, nunca deixei ele no automático”, disse o ator.

Ao longo da trama, o seu personagem teve uma mudança radical. “Eu acho que o barato de uma novela é um personagem passar por tanto tempo, diferente do cinema e do teatro, e no fim passa por mudanças mas são estabelecidas. As mudanças na novela foram uma surpresa. Esse vilão ser tão aceito, que foi redimido, e depois de tanta coisa que ele passou”, disse Mateus Solano.

Sem mais artigos