Lucas Malvacini, o Mister Brasil 2011, fará um amante do personagem de Mateus Solano, o homossexual enrustido Félix, em Amor à Vida, próxima novela do horário nobre da TV Globo, que substituirá Salve Jorge em maio.

Além deles, os atores Thiago Fragoso e Marcello Antony também darão vida a personagens gays e farão par romântico na trama de Walcyr Carrasco.

Em entrevista ao Virgula Famosos, ele falou sobre o crescimento de casais homossexuais em novelas e criticou a homofobia existente no país. Veja abaixo:

Virgula Famosos – Como foi o convite para fazer a novela?

Lucas Malvacini – Na realidade, fiz testes para a trama no fim do ano passado e, a partir daí, surgiu a oportunidade. 

Sabe quando começam as gravações?

Fiz minha primeira gravação semana passada.

Já sabe como será o seu personagem?

Não sei muita coisa sobre meu personagem, nem sei quanto tempo ele ficará na trama. Mas é uma oportunidade muito bacana, já que eu nunca havia feito teste para novelas. Tinha feito uma pequena participação em O Astro, mas foi um convite (não fez teste). E ano passado, estive em cartaz com um espetáculo teatral no Rio.

Você fará um ex-amante do Mateus Solano e, na mesma novela, haverá outro casal gay. O que você acha de mostrar casais gays, cada vez mais, em novelas do horário nobre? Acha importante isso, ainda mais nessa época em que o presidente da Comissão dos Direitos Humanos e Minorias é Marcos Feliciano, que já deu declarações homofóbicas?

O Brasil é um país feito de misturas. Acho que seria uma hipocrisia se não mostrássemos a realidade das pessoas do nosso país. Apesar de já existir direitos civis regulamentados aos homossexuais e o assunto do preconceito pela raça, ou cor, ter perdido força há alguns anos, ainda existem pessoas que vivem em um mundo retrógrado e acreditam em ideologias ultrapassadas. A questão vai muito além de opção sexual, ou raça. Estamos falando de direitos de pessoas. Ver tamanha falta de respeito partida de gente desse tipo é deprimente, é retrocesso.

Sem mais artigos