A cantora Marina Lima lança no Rio de Janeiro neste fim de semana a sua autobiografia Maneira De Ser. E em entrevista para o jornal O Dia, neste sábado (12), ela comenta fatos que estão no livro, um deles a sua perda de voz nos anos 1990.

“Nunca falei disso porque demorei muito para descobrir o que houve. Tive depressão realmente e, na mesma época, peguei uma gripe forte e tive que fazer uma aspiração de pus na garganta, mas não dei muita importância a isso”, revela a cantora sobre o primeiro diagnóstico que acreditou ser uma depressão a causa da mudança de seu timbre.

Mas percebeu que não era bem isto: “Mesmo depois que a depressão passou, continuei a sentir dificuldade de cantar, de respirar até, mas só recentemente descobri que havia uma fenda na minha garganta. Só pode ter sido causa de um erro médico naquela ocasião, afinal, como uma fenda aparece de uma hora para outra na sua garganta?”

E conclui: “Não tenho raiva do médico, tive uma frustração, claro, mas fiquei acima de tudo aliviada por perceber que o problema da voz não era coisa da minha cabeça”.

Ela também fala sobre o que a levou a posar nua para a Playboy em 1999. “Foram me convencendo que eu era (um símbolo sexual), e a parte mais chata da minha vida foi quando acreditei nisso. Fiquei meio mascarada, não foi bom para mim. Não posaria nua de novo. Foi importante quando eu tinha 44 anos, mas agora, aos 57, no máximo posso pensar em um dia fazer um daqueles ensaios sensuais. Mas nua, não”.

Sem mais artigos