Nos novos episódios de Um Doce de Mãe, o personagem de Matheus Nachtergaele, Fernando, um dos um dos quatro filhos de Picucha (Fernanda Montenegro), voltará abertamente gay e com namorado. Na vida real, o ator se arrepende ter declarado ser bissexual pois acredita que a sexualidade é maior que isto. Ele deu entrevista para o jornal Extra deste domingo (26).

Ele fala sobre a volta de Fernando agora casado com outro homem, Roberto (Evandro Soldatelli). “Agora ele aparece casado e convivendo mais livremente com a opção sexual dele. E a família aceita com facilidade isso. A não ser, talvez, o Silvio (Marco Ricca), que é mais machista. Estou tentando fazer um personagem docemente libertário”, disse o ator sobre o personagem que volta ao ar nesta quinta (30) no seriado que terá 14 episódios.

 Ele também disse que o seriado o fez ter mais carinho por sua família: “Acho que todos nós do elenco trabalhamos com essa bandeira: de que, com doçura, é possível liberdade. Esse trabalho me fez ter saudade de casa. Tenho ligado mais para as pessoas da família”.

Sobre sua bissexualidade, ele diz que hoje acredita que a sexualidade é algo maior que estes rótulos: “Eu me arrependo de já ter tentado me definir porque não adianta. Ninguém cabe numa prateleira nesse aspecto. Eu já não penso mais em lésbicas, gays, héteros, bissexuais… Não consigo pensar nesses termos porque percebo que cada ser humano tem uma sexualidade própria. Acredito que, quantas pessoas existirem no mundo, é o número de sexualidades que existem. E, além do mais, temos que lembrar que ela é cambiante”.

E continua: “Tem pessoas que são absolutamente promíscuas e, a partir de um momento, se tornam monogâmicas. E vice-versa. Existem matrimônios de três. Pessoas que tiveram casamentos com homens e mulheres, e todos são exemplos bem-sucedidos…”

Preso recentemente pela lei seca, ele comenta o episódio: “É um fato que me ocorreu. Fiquei superchateado e triste porque sou uma pessoa pública, e isso acabou virando notícia. E sofri as consequências. Mas achei que foi muito barulho por nada. Foi um pouco injusto. Mas fiz tudo o que tinha que ser feito, como qualquer cidadão. Não me neguei a nada. Mas, enfim, já passou”.

Sem mais artigos