Uma das atrizes mais belas da televisão, a jovem atriz Débora Nascimento não se intimidou ao ser entrevistada pela revista Já É!, do jornal O Dia, deste domingo (22). Na pele de Tessália em Avenida Brasil, a artista sabe que seu corpo chama a atenção de muitos homens.

“Nasci assim. E por mais que tente emagrecer, vou sempre ter essas curvas! Mas eu tiro de letra, me vejo um pouco como minha personagem, que tem uma sensualidade natural. Isso não é uma coisa que eu fique explorando”, explicou.

Na trama, a personagem da artista se apaixona pelo sexagenário Leleco, vivido pelo ator Marcos Caruso. Na vida real, a paulistana aprova a mesma experiência. “Nunca me apaixonei por homem mais velho por falta de convivência com pessoas mais velhas, mas se me apaixonasse, ia casar, ter filhos. Acho isso normal”, declarou.

Sucesso com todas as gerações, ela admitiu que já recebeu uma cantada de um senhor mais velho que o seu pai, acima dos 50 anos. “Eu o conhecia de vista. Ele conseguiu meu telefone e me ligou. Conversei normalmente. E ele foi direto. Mas da mesma forma como já dei fora em outros homens, disse não para ele também”, afirmou.

Porém, a artista confessou que homens mais maduros são mais criativos em suas cantadas. “É sempre mais elaborada, inteligente, mais requintada talvez”, comentou. Contudo, fez uma ressalva. “Nunca classifiquei ninguém por idade, cor nem conta bancária”, emendou.

Casada com o empresário Arthur Rangel, que a mesma idade que ela, 26 anos, Débora falou que há homens que ficam ainda mais bonitos quando envelhecem. “Parece que eles ficam mais donos de si. Vejo pelo meu sogro, que é supercharmoso, meu pai também é. Até brinco com meu marido: ‘Se você ficar como o meu sogro, eu vou ficar bem’”, brincou.

“Arthur é um homem à moda antiga, é maduro, parece mais velho do que ele realmente é”, completou.

Com 1,78m e 65 quilos bem distribuídos, Nascimento garantiu que sua altura assusta no primeiro contato. “Mulherona assim intimida um pouco as pessoas. Acho que esperam uma atitude arrogante. Aos poucos, elas vão vendo que não faço tipinhos. Quando ficam mais próximas, veem que sou normal. Acho que sou fofa!”, divertiu-se.

Débora contou que já se incomodou em ser vista como uma mulher gostosa. Hoje ela assume as curvas que tem e não liga para os comentários. “Me aceitei do jeito que sou. Hoje, entendo o que tenho que vestir para amenizar algumas formas ou acentuar outras. Também não fico com medo de ser só mais uma gostosona, porque eu sei que sou mais que isso. Então, eu não encano”.

Para ela, vai ser bacana mostrar que um homem com mais idade também pode ser fogoso em uma relação. Tessália e Leleco vão transar em breve na novela das nove, na Globo. “Ser um furacão no sexo, para mim, é não arregar, não negar fogo, não deixar a desejar. É estar pronto a todo momento”, resumiu. “Hoje em dia, até quem não está pronto, fica pronto com um copo de água (risos)”, brincou.

Questionada se algum homem já falhou na hora H com ela, Débora disse que não, mas que quando acontecer vai tirar de letra. “Nunca passei por essa situação. Hoje em dia, tem todo um arsenal para ajudar quem precisa e várias artimanhas. A mulher também tem vários truques, e a tecnologia está aí pra isso”, disse.

“Comigo, não teria problema se o cara usasse Viagra. Não é vergonha. O importante é ser feliz”, finalizou.

Sem mais artigos