Desculpem o momento que pode soar um tanto quanto“paga pau”, mas uma das coisas mais peculiares aqui do SPFW é que, ao mesmo tempo que você assiste a cenas totalmente celebrity, com direito a mil seguranças e dois mil fotógrafos que caem matando (vide o grande surto Ronaldo-Cicarelli), também tem momentos em que se presencia aqueles poderosos que a gente só vê nas TVs em situações totalmente corriqueiras. O fato é que a badalação em torno da vida deles é tanto que às vezes a gente até esquece que eles possam ter chulé e unha encravada, não?

Por aqui, já vi uma supertop só no cigarrinho botando o papo em dia com outra beldade no bar da empada maravilhosa, como eu faço toda a semana com minhas companheiras de profissão.

Ontem, durante as entrevistas da matéria do banheiro, enquanto de um lado a mulherada se matava na fila, do outro um músico famoso e ótimo saia lindo leve e lindo, despreocupadamente.

Fui lavar a mão no toilet com uma consultora de moda das mais poderosas. Percebi que ela estava atrás de mim e me observava, apreensiva. “Posso pegar o sabonete?”, perguntou. Eu estava passando batom bem na frente do compartimento de sabonete líquido. Foi mal, querida!

Agora a pouco fui comer lá no restaurante chiquérrimo instalado na Bienal. Enquanto eu retirava meus trocadinhos pra comprar um croissant – única coisa que o meu dinheirinho é capaz de financiar no momento – um estilista poderoso almoçava animadamente, após o sucesso de seu desfile. Que beleza!

Sem mais artigos