O reality show Big Brother Brasil está cada vez mais previsível e sem graça. Na 12ª edição, os participantes tiveram muito tempo para analisar cada um que já passou pela casa e se deu bem nos programas anteriores.

Inspirados no estilo Alemão e Dourado de ser, a frase de ordem para os emparedados aos domingos é: “Se eu ficar, vou causar!”. Mas eles não parecem ter entendido bem a lição e esquecem de cumprir o prometido.

Na manhã desta terça-feira (28), Yuri que enfrenta Rafa na disputa pela permanência na casa, prometeu: “Se eu sair, vou ficar felizão de ver minha família. Se eu sair, vou ver a Laisa, ver o que vai dar a gente, mas, se eu ficar, vou jogar muito”. Já o carioca, no auge de sua arrogância e de sua inflada autoestima, chegou a declarar não ter medo de paredão, porém caiu no choro durante a festa do último sábado (25) achando ser sua última dentro da casa.

Mas João Carvalho é o melhor exemplo. Desde que recebeu seis votos no paredão de domingo retrasado (19), as ameaças de que irá jogar para valer se tornaram constantes. “Não vou ter mais escrúpulos com nada, cansei. Vou fazer o que me der na cabeça”, disse ele na semana passada.

Sobre uma discussão que teve com Rafa, o mineiro disse: “Vou mostrar um por um o moleque que eu sou. Foi disso que fui chamado, eles vão ver o moleque que eu sou”.

Já nesta manhã, foi a vez de João dizer: “Tô enchendo o saco desse trem aqui. Na hora que eu explodir, você vai ver. Vou colocar essa casa abaixo”. Porém, as atitudes do brother parecem não condizerem com o que disse, pois nada mudou, ele continua sendo o mesmo personagem do começo do programa, querendo agradar a todos e torcendo para conquistar um aliado.

Parece que o ditado “Cão que ladra, não morde”, nunca fez tanto sentido em um BBB

Sem mais artigos