O príncipe William foi o co-piloto de um helicóptero que resgatou dois tripulantes de um navio de carga que afundou nesta madrugada no litoral do norte do País de Gales, informou neste domingo o Ministério de Defesa do Reino Unido.

Segundo confirmou neste domingo o serviço de guarda-costeira da região, cinco tripulantes do cargueiro continuam desaparecidos e outro foi encontrado morto.

A tripulação, de origem russa, deu o alarme por volta da meia-noite (de Brasília) e avisou que o navio enfrentava um forte vendaval com uma ruptura no casco. O navio Swanland, que transportava 3 mil toneladas de pedra calcária, desapareceu a 48,2 quilômetros a noroeste da península de Lleyn.

No total, duas embarcações salva-vidas, quatro helicópteros de busca e resgate e dois navios comerciais continuam tentando localizar os tripulantes desaparecidos. O serviço de guarda-costeira da região, responsável por coordenar os trabalhos de resgate, demonstrou sua preocupação com a “segurança” desses marinheiros.

“Sabemos que alguns deles usavam roupas de imersão e tinham lanternas, mas as condições do mar estão complicadas”, afirmou Jim Green, do serviço de guarda-costeira da localidade de Holyhead, à imprensa britânica.

Já o Ministério da Defesa declarou neste domingo que o duque de Cambridge participou dos trabalhos de resgate dos dois tripulantes encontrados com vida pouco depois do alarme.

Ambos foram retirados do mar pelo helicóptero Sea King, no qual estava o filho mais velho do príncipe Charles, que passou “várias horas” envolvido nos trabalhos de resgate, de acordo com o Ministério da Defesa.

Sem mais artigos