O ator Rodrigo Andrade

Rodrigo Andrade, de 29 anos, está fazendo desde maio deste ano seu segundo papel em uma novela do horário nobre da TV Globo, com Daniel de Amor à Vida. Assim, ele integra núcleos que trazem a público discussões sobre o preconceito contra mulheres fora de um padrão de beleza, com o relacionamento do fisioterapeuta com Perséfone (Fabiana Karla), e também a inclusão de pessoas autista à sociedade, já que o rapaz é irmão de Linda (Bruna Linzmeyer).

Mas essa não é a primeira vez que o ator vive um personagem envolvido com temas polêmicos. Em Insensato Coração (2011), ele deu vida ao homossexual Eduardo, que precisou enfrentar o preconceito das pessoas para assumir seu relacionamento com Hugo (Marcos Damigo).

Em entrevista para o Virgula Famosos, o ator contou que quer continuar buscando papéis fortes para seus próximos trabalhos: “Adoraria interpretar, por exemplo, um personagem com algum distúrbio psicológico, que confunda, intrigue”.

Além disso, na conversa, Rodrigo também comentou o atual dilema que seu personagem está vivendo na trama de Walcyr Carrasco, contou o que pretende fazer quando a novela terminar, sobre os projetos de sua carreira musical e até relembrou a fase de sua vida na qual trabalhou como vendedor ambulante.

Veja abaixo o que o ator disse:

Virgula Famosos – Como está sendo para você viver um personagem que está envolvido em dois temas sociais, com o preconceito contra pessoas fora do padrão estético de beleza e também o autismo?

Rodrigo Andrade – Tem sido excelente! Ainda mais depois de ter acabado de dar vida a um personagem anterior que era tão diferente. O Berto, de Gabriela (2012), era um mau caráter de marca maior, sem escrúpulos, remorso, nada. Já o Daniel, é um cara muito bacana, decente, gentil, são opostos. Como ator, não poderia ser melhor passar de um extremo a outro. O Daniel aborda com muita sensibilidade e carinho a irmã que tem autismo, acho bonito quando ele incentiva e mostra que não é porque ela não é igual a uma maioria, que não é capaz de fazer diversas coisas. Nos últimos capítulos, ele discutiu com o Rafael (Rainer Cadete), mas acredito que foi por superproteção normal de irmãos, é um zelo exagerado, mas que não deixa de ser forma de amor. Sobre a Perséfone, acho a história dos dois maneiríssima, eles se amam verdadeiramente e ela estar acima do peso é apenas um detalhe na cabeça do Daniel. Agora que eles se separaram vão sobrar provocações e cenas de ciúmes. Eu torço muito por este casal e espero que eles terminem juntos!

Com o fim do casamento, você acha que o Daniel realmente se incomoda com o peso de Perséfone ou ele apenas não teve maturidade para não se importam com os comentários dos amigos?

Talvez tenha faltado um pouco de maturidade, mas não acredito que ele teria terminado por iniciativa própria. A Perséfone começou a ficar incomodada com a situação de ele estimular que perdesse algum peso e, uma hora, o copo transbordou. Numa briga quando entra a intolerância de ambos, fica mais difícil argumentar e chegar num senso comum. 

Um final feliz para o casal parece evidente, acha que Daniel vai conseguir mudar as atitudes facilmente?

Torço muito pra que eles acertem os ponteiros e que ele corra atrás da Perséfone. De fato, ali existe amor.

Você já sofreu bullying? Já fez bullying?

Sempre fui muito tranquilo e costumo saber dosar minhas brincadeiras. Sempre penso se o que eu estou fazendo com os outros gostaria que fizessem comigo, ensinamento da minha mãe e que ficou pra minha vida inteira. Não me lembro de ter sofrido nada a ponto de me magoar ou marcar também. Na época em que fui vendedor ambulante, nem sempre fui bem tratado e recebido, de fato… Infelizmente, fazendo uma comparação com aquela época, tem gente que acha que o tratamento tem que mudar de uma pessoa pra outra, se ela tem melhor ou pior condição, emprego X ou Y. Discordo completamente dessa postura e costumo valorizar muito mais quem vejo que trata igual, seja o presidente de uma empresa ou o senhor que faz faxina. Gentileza e respeito são duas coisas que não tem preço.

Amor à Vida termina em janeiro, quais são seus planos para sua carreira musical, depois do fim desse trabalho? Já tem algo programado na TV, teatro ou cinema?

Pra 2014 estou cheio de projetos, começo o ano já com o lançamento do meu CD 30 Anos e do meu primeiro clipe, vem muitas novidades! Também tenho dois convites bem interessantes para o cinema, que estou muito a fim de fazer. Vou conciliar a carreira de cantor e ator.

Tem algum personagem que sonha interpretar?

Tenho vários! Adoraria interpretar, por exemplo, um personagem com algum distúrbio psicológico, que confunda, intrigue. Ou algum que tenha duas caras ou mais pra um lado esquizofrênico num nível grave, de não conseguir diferenciar imaginação de realidade.

Quais mudanças que você vê entre o Rodrigo ator que estreou em Caras e Bocas (2009) e o atual em Amor à Vida?

Grandes mudanças! Hoje em dia, me sinto muito mais preparado. Sempre busco melhorar, estudar e correr atrás de encontrar formas de fazer o meu melhor. Acho importante não se acomodar só porque está tudo muito bem. Seguir firme na batalha!

Veja mais fotos do ator na galeria acima!

Rodrigo Andrade comenta atitudes de Daniel em Amor à Vida e revela: 'Adoraria interpretar um esquizofrênico'

Sem mais artigos