Sem querer ou querendo, Ronaldo continua causando em suas entrevistas recentes. Agora para a edição deste mês da Playboy, o ex-jogador declarou que já usou Viagra, famoso remédio para a impotência sexual. Ele também comentou que nunca desejaria ser técnico de futebol.

“Alguns anos atrás, eu tomei para ver como era. Foi muito incômodo. Entope o nariz, sangra. Dá dor de cabeça. Eu não curti. E também não senti grandes diferenças na rigidez”, reclama o empresário.

E pondera brincando: “Mas deve ser melhor hoje em dia, né? Se bem que a Paula (Morais, noiva de Ronaldo) me mata se eu tomar um negócio desses”.

Sobre ser técnico de futebol, a ideia passa longe de seus planos. “Eu não tenho a menor vocação de ser treinador. Nunca serei. É uma missão muito difícil. Eu não aguentaria treinar 25 caras, cada um fazendo uma coisa, dizendo outra… Eu ia dar porrada nesses moleques todos (risos)”, diz, em mais uma alusão à violência como disse em sua recente e polêmica entrevista que achava que os manifestantes “deveriam levar porrada”.

Sem mais artigos