Sabrina Boing Boing não teve um Réveillon muito divertido. Contratada para tocar na festa White River Celebration 2014, na cidade de Rio Branco, no Acre, a DJ afirmou através de seu perfil no Instagram, que foi agredida com um tapa na cara após um desentendimento por conta de seu cachê. Em conversa com o Virgula Famosos, ela falou sobre o ocorrido. O Virgula Famosos também entrou em contato com Guilherme Salomão, um dos quatro organizadores do evento, que negou a agressão e contou a sua versão.

A confusão toda ocorreu devido a um desentendimento quanto ao embarque da DJ, cuja passagem estava comprada para o dia 29 de dezembro. De acordo com Salomão, Sabrina sabia da data e esqueceu, mas ela afirma que não foi informada e que o procedimento padrão é viajar no dia da apresentação. No caso, dia 31 de dezembro. O Virgula Famosos tentou entrar em contato com a Unique DJs, agência de Sabrina, mas não obteve resposta.

A DJ acabou embarcando então somente no dia 31 e o custo da remarcação ficou por conta da organização do evento. Após a apresentação, Sabina se dirigiu ao camarim para receber a metade que faltava de seu cachê. Neste momento, se iniciou a confusão.

A versão de Sabrina Boing Boing

Segundo Sabrina, um dos organizadores da festa foi até o camarim e informou que o valor correspondente a remarcação da passagem seria descontado de seu cachê. Indignada, ela se recusou a aceitar a remuneração e ameaçou fazer um boletim de ocorrência. Ela então foi trancada por 40 minutos sozinha dentro do camarim, esperando uma resposta.

Após o período em que ficou trancada, outro sócio acompanhado de seu sogro, Ricardo Matos, apareceu no camarim afirmando que o valor seria mesmo descontado de seu cachê. A DJ então resolveu voltar a festa, abaixar o som da música e anunciar aos foliões que os organizadores não queriam pagar o combinado. Neste momento ela foi interrompida por Matos que lhe segurou pelo braço e deu um tapa em sua cara.

Alguns seguranças do local saíram em sua defesa e ela voltou para o camarim, onde recebeu o valor combinado e sem descontos. Entretanto, devido à agressão sofrida, ela chamou a polícia que apareceu no local e levou Sabrina mais seu agressor e dois seguranças do evento para a delegacia, onde a DJ prestou queixa contra o homem que lhe deu um tapa na cara.

A DJ afirmou ainda que Ricardo Matos tentou pagar para que os seguranças do evento que foram à delegacia não depusessem contra ele, e chamou o seu sobrinho mais outros homens para fazerem ameaças à ela quando saísse da delegacia.

Assustada, ela saiu da delegacia e foi para o aeroporto onde esperou por 16 horas até retornar a são Paulo. Nesse tempo ela pediu ajuda a um funcionário de uma empresa aérea que a conduziu a uma sala que não estava sendo usada, onde ela ficou.

A versão de Guilherme Salomão

Segundo Salomão, a DJ sabia da data da viagem e que eles não tem culpa de ela ter perdido o voo, mas que, mesmo assim se propuseram a pagar a remarcação. Após a apresentação de Sabrina, um dos organizadores foi até o camarim e pagou o valor total do cachê, sem descontos, mas que pediu uma “ajuda” – que Guilherme não soube especificar o que era – já que a organização do evento arcou com a despesa da passagem remarcada.

Neste momento, Sabrina, que segundo Salomão estava alterada, ficou enfurecida e tacou uma pedra no telão de LED da festa além de agredir um segurança e arranhar os braços de Ricardo Matos, que não tinha nada ver com a história e era apenas um amigo dos organizadores do evento.

Salomão informou ainda que, apesar do comportamento de Sabrina, a organização do evento decidiu por não fazer um boletim de ocorrência contra ela.

Sem mais artigos