No meio das mulheres frutas da funkeira Brunetty (Ellen Rocche), em Sangue Bom, de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari, tem uma travesti: Mulher Pau de Jacú. Ela é interpretada por André Luiz Alvim, que tem 1,90m de altura, 94 kg e dono de um vozeirão. As informações são do site da novela desta segunda-feira (20)

O ator é casado há dois meses, depois de viver cinco com sua atual mulher. E ela não se incomoda dele fazer laboratório em casa. “Conversei com alguns travestis em Copacabana e fui ver show de travesti na Lapa. Também tenho visto muito filme e vídeos na internet. Além disso, tem alguns dias que resolvo ficar de mulher. Visto salto, saia e faço as tarefas de casa como se fosse mulher. Atendo telefone, faço tudo que tiver que fazer como se fosse mulher… Até xixi eu faço sentado!”, diz André.

André está orgulhoso de fazer o papel: “É uma honra poder representar em um país com tantos preconceitos como o Brasil”.

E para viver uma travesti, ele passou pelas dolorosos procedimentos estéticos que as mulheres fazem todo o mês. “É um sofrimento à parte… Estou depilando com cera quente as pernas, o peitoral, braços e axilas…É um horror!”, ri o ator.

Para encarnar a Mulher Pau de Jacú, André tem recebido dicas de suas parceiras de funk Ellen Rocche (Mulher Mangaba), Dani Vieira (Mulher Pupunha), Fernanda Abraão (Mulher Jambolão) e Vânia Love (Mulher Saputá). “Elas são ótimas! Divertidas, parceiras, generosas, além de estarem sempre me arrumando, me ajudando com a posição dos meus peitos postiços, dos brincos, colares, na coreografia… Além disso, são todas lindas! Mas eu tenho meu camarim, e elas o delas… “.

Sem mais artigos