Cleo Pires, de 30 anos, não é uma atriz de primeira viagem. Nem na TV, nem no cinema cuja estreia se deu em 2003 com o filme Benjamim. Entretanto, nem por isso, ela se sente mais segura com o resultado de seu trabalho. Em entrevista publicada nesta sexta-feira (20) no site do programa Altas Horas, a atriz falou sobre o filme O Tempo e o Vento, em que ela interpreta o mesmo papel que sua mãe, Glória Pires, desempenhou no passado.

“Sempre que me vejo no cinema, eu odeio. É um processo lento de autoaceitação. Tenho que ficar revendo para eu gostar”, disse a atriz que ainda afirmou que não aceitou o convite de cara: “Quando ele (Jayme Monjardim, o diretor) me convidou, a primeira impressão que me bateu foi uma coisa ruim e eu disse que não queria, mas ele insistiu”.

Um pouco da recusa se deve ao fato de que a versão feita por sua mãe lhe impressionou bastante. “São cenas muito fortes. Ela sofria muito e aquilo ficou meio embrulhado dentro de mim. Eu ainda não tinha resolvido, mas entendi que isso era uma coisa congelada de criança e acabei superando (…) Eu tenho muita dificuldade de ver a minha mãe sofrendo nos papéis. É muito, muito difícil para mim. Eu fui ver Flores Raras e fiquei deprimida o resto da noite”, afirmou Cleo Pires.

Sem mais artigos