Joaquim Lopes tem um desafio, encarnar o preconceituoso e homofóbio Enrico Bolgari que descobrirá que seu pai, o cerimonialista Claudio Bolgari (José Mayer) é homossexual e tem um caso com um rapaz quase da idade do chef de cozinha. Porém, o ator é contra qualquer forma de preconceito, conforme declarou, no site da novela, neste sábado (02).

“Nossa sociedade é cheia de preconceitos, mas sempre digo que todo preconceito é burro”, disse o marido de Paolla Oliveira. Ele também tenta entender as razões de Enrico para tanta homofobia. “É um personagem sombrio. Acho que ele vai passar uma lição para os telespectadores. É um absurdo esse preconceito, as pessoas têm que ter a liberdade de expressar a opção sexual delas”. 

Entretanto, Enrico continuará a nutrir uma certa admiração pelo pai, mesmo rejeitando a homossexualidade de Claudio. Esta parte será para Joaquim mais fácil de interpretar: “Meu pai é a minha referência, o meu porto seguro. Sempre tive uma relação muito boa com os meus pais. Lá em é um território de paz, a gente fala sobre tudo. Meu pai é um cara muito batalhador, que sempre priorizou muito a família. Minha relação com ele é maravilhosa e isso é uma boa referência para levar para o personagem”.

Ele também comentou a vontade de ser pai: “Vou ser muito coruja, isso com certeza. Se eu for a metade do que o meu pai foi para mim, vou ser um cara realizado”.

Sem mais artigos