As imagens são angustiantes. São Paulo debaixo d’água, o sul de Minas Gerais totalmente alagado, a Região Serrana do Rio de Janeiro não tem mais lugar para colocar seus mortos e as chuvas não param. Quando a senhora pendurada por uma corda perde seu cachorro que ela tenta salvá-lo junto com sua vida, sentimos nesse instante impotentes diante a realidade. Os números passam dos 600 mortos, mas são números apenas, como o cachorro que se foi nas águas da correnteza, todos têm uma história interrompida pela força das chuvas e isto dá uma dimensão maior para a palavra tragédia.

Mas esse sentimento de nulidade não pode e nem deve nos imobilizar. Deixem os políticos culparem São Pedro ou as ocupações irregulares, isso agora, nesse instante, pouco improta. Milhares de pessoas precisam do básico como água potável e só nos resta a solidariedade para ajudar pessoas que tiveram suas histórias interrompidas possam voltar a contá-las.

– A Cruz Vermelha aceita doações. Nesse site, você pode encontrar as informações necessárias para ajudar:

http://cvbmg.org.br/

– Bancos e supermercados estão aceitando doações para as vítimas das enchentes.

Famosos também ajudam as vítimas das enchentes: Fred do Fluminense leiloa camisa, Grazi Massafera doa vestido usado em Passione e músicos se mobilizam no Twitter.

Sem mais artigos