Nos anos 1980, para muita gente a mulher mais bonita do mundo era Roberta Close, curiosamente uma modelo transexual. O título quebrou paradigmas, trouxe outros nomes – como o de Thelma Lipp, Claudia Wonder – e despertou pela primeira vez atenção para a beleza trans. 

Embora o assunto tenha ficado em jejum por quase 20 anos e o preconceito ainda seja visível, recentemente as travestis e transexuais voltaram a figurar (positivamente) nos noticiários, programas de TV, e a beleza de quem se fez mulher voltou a ser valorizada.

O discussão foi retomada com a presença da (até então) cabeleireira Ariadna no Big Brother Brasil, da TV Globo, em 2011, com o destaque que a top brasileira Lea T teve fora do Brasil, e com a surpreendente revelação da cartunista Laerte, que se assumiu trans aos 59 anos.  

Hoje, diversas modelos transexuais são contratadas de agências, e uma delas irá participar do concurso de Miss Bumbum 2013. A funkeira Valesca Popozuda decidiu montar um concurso para eleger a primeira dançarina transexual do Gaiola das Popozudas. Até mesmo o Virgula Caliente, em 2011, fez pela primeira vez um ensaio com uma travesti.  

Para provar que a beleza trans está com tudo, em outubro deste ano, vai ocorrer no Rio de Janeiro o Miss T Brasil, que vai escolher a mais bela trans do país. Serão 28 candidatas de todas as regiões do Brasil, que levarão o tema “A Beleza em prol da Cidadania”. O evento será apoiado por três secretarias estaduais do governo e uma clínica médica. 

Abaixo, relembre a trajetória de artistas e figuras travestis e transexuais. 

Sem mais artigos