Longe da televisão desde novembro do ano passado, Tom Cavalcante está de malas prontas para ir ao Rio de Janeiro apresentar o espetáculo No Tom do Tom, na próxima quinta-feira (24). Em entrevista ao jornal O Dia, deste sábado (19), ele falou o que rende uma boa piada.

“A boa piada não tem gênero. Pode vir das mais diversas situações. Quando temos um fato absurdo e que seja de domínio público, corro ali no computador e crio uma piada, um texto bem-humorado a respeito. Às vezes, funciona, às vezes, não”, explicou.

Amigo de longa data de Chico Anysio, que morreu em março, o humorista falou se se considera um substituto do mago da televisão. “A máxima de que ninguém é insubstituível cai por terra quando se fala dele. É olhar para sua rica obra e constatar. Tá para nascer”, declarou.

Na Record, Tom e Tiririca trabalharam juntos em seus programas. Questionado do que vem achando do deputado, ele respondeu: “Votei nele e ele, com sua dedicação e empenho, tem nota dez por ter estado em todas as sessões desde o início do mandato. Bem raro para o que temos visto”, opinou.

Questionado sobre o que tem assistido na TV aberta, o veterano comentou: “O Carioca imitando o Boris no Pânico e Avenida Brasil”.

Sem mais artigos