A edição deste mês de dezembro da revista Alfa traz William Bonner, o jornalista mais confiável segundo uma pesquisa recente do Ibope. Apesar de estar há 11 anos à frente do Jornal Nacional, da TV Globo, ele é um figura pouco conhecido por não gostar de dar entrevistas e falar sobre a vida pessoal.

Sempre sério ao apresentar o telejornal, o marido de Fátima Bernardes se solta durante suas mensagens frequentes e engraçadas no Twitter, onde se intitula como “tio” ou “tio velhinho”.

“Sempre perguntam qual é o William verdadeiro. É uma pergunta tola. Eu não vou agir com você como ajo com a minha mulher ou como ajo com um delegado de polícia. Todos são verdadeiros. Cada um dentro do seu ambiente e dentro das circunstâncias que cercam aquela interação”, disse o jornalista à revista.

Na reportagem, José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, também falou a respeito de Bonner: “Foi a Lou, minha mulher, quem o descobriu na TV Bandeirantes. Ele apresentava um jornal e ela achava sua voz bonita. Achei que era só dar uma arrumada no cabelo”.

O diretor ainda contou que não concordou com a mudança na bancada do jornal em 1996, quando Cid Moreira e Sérgio Chapelin foram substituídos por Bonner e Lilian Witte Fibe: “Ele (Evandro Carlos de Andrade, diretor de jornalismo na época) não conhecia nada de televisão. Nada contra mudanças, mas ele quebrou de uma hora pra outra um hábito de mais de 20 anos, e a audiência do Jornal Nacional caiu de 45 pontos para 33 no Ibope”.

Já sobre quando Fátima assumiu o cargo ao lado do marido no JN, Boni disse: “Demorou, mas deram certo. Eu sempre fui contra casal trabalhando junto. É como ter o mordomo casado com a cozinheira”.

Agora, Patrícia Poeta assumiu o lugar da mulher de Bonner na bancada do telejornal, que ganhará um programa novo na emissora.

Sem mais artigos