O diretor da TV Globo Wolf Maya, de 57 anos, foi condenado a dois anos e dois meses de prisão pelo crime de injúria com conotação racial contra um técnico de iluminação, com quem trabalhou em uma de sua peças.

De acordo com a coluna Olá, do jornal Agora São Paulo, publicada nesta quinta-feira (09), a decisão em primeira instância foi tomada pela 2ª Vara Criminal de Campinas, interior de São Paulo.

Segundo a acusação, em agosto de 2000, o diretor teria chamado Denivaldo Pereira da Silva de “preto fedorento que saiu do esgoto com mal de Parkinson”. No entanto, o juíz substituiu a pena de prisão pelo pagamento de indenização no valor de 20 salários mínimos e mais um período de trabalho comunitário a ser definido.

O advogado de Wolf negou o ato de racismo e disse que vai recorrer.

Sem mais artigos