Zezé Di Camargo fez algumas revelações, em entrevista para a revista Sexy de novembro, na edição de aniversário, com as bailarinas do Domingão do Faustão, Kamilla Covas e Rachel Gutvilen na capa.  

O cantor contou o que costuma fazer após seus shows: “Se tem uma coisa que eu gosto é tomar uma cervejinha, juntar os amigos. Estou pensando, com essa coisa de estar solteiro agora, de exigir uma balada do lado do meu camarim. Então a gente fica tomando a cerveja e ouvindo o ‘putz-putz’. Já leva bastante vodca também, porque dizem que as mulheres bebem isso aí e depois não lembram nada, né?”.

Questionado pela revista, o irmão de Luciano também tentou adequar a famosa frase “Sexo, drogas e rock’n roll” para o universo do sertanejo: “Sexo, cerveja e mulher! Desculpe, sexo, cerveja e sertanejo. Acho que sexo até mais. Nessa galera do sertanejo não conheço nenhuma história com droga. Nada contra, mas é uma galera mais simples acho que pela origem, por ter vindo do interior. Pode pôr quatro? Sexo, cerveja, mulher e música sertaneja”.

Ele também se comparou a seu companheiro de palco: “Somos duas almas diferentes. Ele cresceu em outra época e tem uma diferença de idade muito grande, são quase 11 anos. Eu cresci na fazenda, ele cresceu em Goiânia, ouvindo outro tipo de música. Ele é mar e eu sou rio. Ele já é um cara bem mais urbanizado do que eu. Acho que essas diferenças que fazem o sucesso da gente”.

Zezé também fez questão de se gabar sobre suas ótimas condições aos 50 anos:  “Eu fiz um exame de sangue e peguei os resultados, estavam todos normais. Mas o que mais chamou atenção foi o exame de testosterona dizendo lá que a média pra um menino de 18 nos é 800. O meu deu 765. Falei: Caralho! O pessoal lá no laboratório ficou impressionado. Eu liguei pra Zilú (sua ex-mulher) contando isso e ela me respondeu assim: ‘Ah, tá tudo explicado’”.

Sem mais artigos