O bicampeão mundial espanhol de Fórmula 1 Fernando Alonso, que iniciará sua terceira temporada pela Ferrari, afirmou que a chave para um terceiro título este ano estará em seu novo carro, algo que o preocupa mais que o rendimento de seus principais adversários.

Após o anúncio de que o finlandês Kimi Raikkonen voltará a competir na principal categoria do automobilismo mundial, dirigindo um Lotus, o campeonato que será iniciado em Melbourne (Austrália) no dia 18 de março contará com seis campeões mundiais: os dois citados, os alemães Michael Schumacher (Mercedes) e Sebastian Vettel (Red Bull); e os dois britânicos da McLaren, Jenson Button e Lewis Hamilton.

Alonso deu essas declarações nesta quinta-feira, na estação italiana de Madonna di Campiglio, onde acontece a tradicional reunião de pré-temporada de sua escuderia, o Wrooom 2012. A Ferrari apresentará o novo protótipo no próximo dia 3 de fevereiro em Maranello.

Perguntado sobre o que lhe preocupava no Mundial, Alonso respondeu que é o próprio trabalho de sua equipe, que, segundo o diretor esportivo, o italiano Stefano Domenicali, está em dívida com o piloto.

“Se nos prepararmos bem, poderemos lutar pelo campeonato. Se o carro for lento ou cometermos muitos erros, não lutaremos por nada. Teremos que nos concentrar nestas duas coisas: um carro muito rápido e, depois, fazer uma boa temporada”, disse o bicampeão do mundo, que, contudo, destacou que não há obrigação de vencer.

“Não existe obrigação de ganhar nem nenhum tipo de imposição, mas existe o desejo de recuperar o domínio que a Ferrari teve durante a década passada”, afirmou o bicampeão, que reclamou da organização da categoria por não haver muitos treinamentos de pré-temporada.

“A Fórmula 1 é o único esporte no qual o piloto não pode treinar. Imagine um jogador que é obrigado a ficar dois meses sem tocar em uma bola, ou um tenista que é impedido de pegar na raquete durante dois meses”, criticou.

Para Alonso, o melhor piloto da atualidade é o polonês Robert Kubica, que, enquanto se recuperava das lesões sofridas há um ano durante o rali de Andora, quebrou uma perna nesta quarta-feira, ao escorregar em uma placa de gelo.

“Falei com ele ontem e aproveito para lhe mandar de novo uma saudação. Quando retornar, continuará sendo o melhor piloto da competição”, finalizou o companheiro de equipe de Felipe Massa.

Sem mais artigos