O piloto espanhol Fernando Alonso (Ferrari), duas vezes campeão mundial, afirmou que se a disputa do título na temporada fosse com o inglês Lewis Hamilton (McLaren) seria “praticamente impossível” derrotá-lo, informou neste sábado (24) o canal “SporTV”.

“Em uma corrida em que tudo dá errado, ele está no pódio. Agora Vettel (Red Bull) e eu estamos lutando pelo campeonato até o final, mas com Hamilton seria praticamente impossível”, declarou o espanhol ao programa “Linha de Chegada”.

O Grande Prêmio do Brasil, que acontece amanhã no Circuito de Interlagos, definirá o título mundial entre o alemão Sebastian Vettel, bicampeão e líder com 273 pontos, e Alonso, duas vezes campeão e que acumula 260.

Hamilton, ex-companheiro de Alonso na McLaren, marcou ontem os melhores tempos nos dois treinos livres, nos quais Alonso ficou na quinta posição.

“Não só neste ano, mas em toda a sua carreira, Hamilton demonstrou que com um bom carro ele ganha e com outro, não tão bom, quase sempre ganha (risos), por isso ele é um rival tão forte que não se consegue deixar para trás”, analisou Alonso.

Sobre seu rival e líder da classificação mundial de Pilotos, Alonso considerou que “Vettel fez excelentes corridas, tem dois títulos e é favorito para chegar ao terceiro, mas quando Vettel está em primeiro, Mark Webber (australiano de McLaren) é segundo e vice-versa, por isso não há muitas mudanças na forma de correr”.

“Procuro me dedicar o tempo todo à Fórmula 1, treinando, me concentrando antes da prova, e tentamos não cometer erros muito óbvios e há gente que desiste antes, mas prefiro continuar lutando enquanto houver esperanças”, contou o espanhol.

Além de Hamilton e Vettel, Alonso apontou o seu companheiro na Ferrari, Felipe Massa; o sete vezes campeão mundial Michael Schumacher (Mercedes) e o finlandês Kimi Raikkonen (Lotus) como os principais adversários para a última corrida do ano.

“Se tudo correr normalmente, é lógico que terminaremos como segundos, essa é a lógica porque estamos em desvantagem, mas vamos tentar fazer mais de 13 pontos sobre Vettel e subir ao podium”, afirmou Alonso.

No entanto, o espanhol deixou claro: “quando cruzarmos a linha de chegada, veremos onde está Vettel e se ele chega primeiro o parabenizaremos, mas se ficar muito atrás vamos festejar”.

O velocista descartou também que a chuva prevista para a corrida possa beneficiar a Ferrari, que teve bom desempenho em provas de condições semelhantes, porque segundo ele a Red Bull também pode ter carros com rendimento para correr sobre pista molhada.

“É difícil saber isso até que a corrida acabe, (a chuva) seria uma variável a mais e está claro que precisamos de uma corrida ‘estranha’ e de repente a Red Bull sai bem e dispara no primeiro lugar, mas a Red Bull na chuva também pode ser favorita”, concluiu Alonso.

Sem mais artigos