O piloto espanhol Fernando Alonso, da Ferrari, disse hoje que ainda acredita na conquista do Mundial de Fórmula 1 desta temporada, mesmo estando a 41 pontos do líder, o australiano Mark Webber, da Red Bull.

“Ainda temos boas chances, já que há 150 pontos em jogo, suficientes para dar uma reviravolta à situação”, explicou Alonso, que tem 141 pontos, em seu blog oficial.

Dois dias depois do GP da Bélgica, em que não conseguiu chegar ao final, o bicampeão destacou a necessidade de “manter a calma e se concentrar” e apontou a próxima prova do calendário, na Itália daqui a menos de duas semanas, como fundamental para suas pretensões.

“Não escondemos que a corrida de Monza será muito importante. Em casa, teremos que fazer todo o possível para não perder mais pontos. Um bom resultado nos daria um grande incentivo”, comentou o piloto.

Após o Grande Prêmio da Itália, restarão apenas cinco corridas para o fim da temporada. Com isso, de acordo com o espanhol, um mal resultado pode afetar o ímpeto de todos na escuderia italiana.

“Se as coisas não derem certo, não será o fim do campeonato, mas será um duro golpe para o moral da equipe”. Alonso comentou ainda a frustração sentida na Bélgica e responsabilizou o acidente com o brasileiro Rubens Barrichello, que tirou o piloto da Williams da prova, por seu fracasso.

“Eu acho que o momento-chave da minha corrida foi a primeira volta. Eu havia feito uma boa partida e até ganhei algumas posições. O carro estava respondendo bem e havia grande chance de terminar no pódio. Infelizmente, tive que voltar para os boxes, quase imediatamente, e então tudo mudou”.

Sem mais artigos