O chefe da Fórmula 1, o britânico Bernie Ecclestone, afirmou neste domingo (11) que acredita que o alemão Sebastian Vettel, da Red Bull, é o grande favorito para a conquista do título do Mundial da categoria em 2012, que seria o terceiro consecutivo do piloto de 24 anos.

“Acho que Sebastian será campeão de novo. Por que pensar de outra forma? Qualquer outra coisa seria uma surpresa. Para ser realista, tudo aponta para ele. Ele tem tudo: talento, paixão, zelo, uma cabeça aberta e odeia perder. Imagino-o batendo o recorde de Michael (Schumacher)”, declarou o dirigente.

“Se tivesse que apostar agora, apostaria em Sebastian como campeão, Mark Webber no segundo lugar e um dos pilotos da McLaren em terceiro, provavelmente Lewis Hamilton”, completou Ecclestone, que fundamentou os palpites nos testes de pré-temporada, realizados em Jerez de la Frontera e Montmeló.

“Os treinamentos de pré-temporada falam uma linguagem bastante clara: a Red Bull parece supercompetitiva mais uma vez, e Sebastian tem apenas 24 anos, portanto ainda tem um enorme potencial para mostrar”, comentou.

No entanto, para o chefe da principal categoria do automobilismo, a pressão sobre Vettel aumentará, tanto internamente, na tentativa de continuar no topo, quanto pela evolução dos concorrentes.

“Espero que a McLaren seja mais rápida que ao começo da última temporada e possa lutar por vitórias desde o começo. A Mercedes parece bastante competitiva, e por isso a coloco na minha lista de concorrentes. Quanto a Ferrari, espero que em breve se aproxime”, acrescentou.

Sobre a escuderia italiana, que conta com o brasileiro Felipe Massa e o espanhol Fernando Alonso como dupla titular pela terceira temporada consecutiva, Ecclestone acredita que há problemas técnicos que a prejudicam.

“Os problemas da Ferrari nada têm a ver com seus diretores. Estou totalmente certo disso. Vejo os problemas no lado técnico, concretamente no departamento de aerodinâmica. Em vez de demitir, deveriam contratar alguém como Adrian Newey”, considerou o dirigente, em referência ao engenheiro da Red Bull.

Por fim, Ecclestone também falou sobre dois campeões mundiais que deixaram a F-1 e depois retornaram, o alemão Michael Schumacher e o finlandês Kimi Raikkonen. Sobre o piloto da Lotus, ele disse que os bons resultados virão apenas se houver motivação.

“Tudo dependerá da velocidade do carro da Lotus e de se ele conseguirá manter a motivação elevada. Por enquanto, ele parece supermotivado. Esperemos que continue assim”, afirmou.

Com relação a ‘Schumi’, o britânico disse que o rendimento do heptacampeão mundial dependerá do rendimento da Mercedes: “Espero que Schumacher vá bem, por ele e seus torcedores. Ele está muito mais associado a sucessos que a fracassos”, finalizou.

Sem mais artigos