Quem passa pela Campus Party também tem a oportunidade de conferir um palco exclusivo dedicado à Chip Music, a música eletrônica feita por produtores que usam como instrumentos coisas como videogames antigos, brinquedos, máquinas de calcular e todo o tipo de traquitana eletrônica retrô que eles encontram pela frente.

O resultado é sempre no mínimo muito divertido. A “8-bit music” (ou também “chiptune”) começou a ser produzida em meados dos anos 80 com a popularização dos videogames, tendo seu auge durante os anos 90 e agora vivendo um interessante revival nas mãos de DJs e produtores ao redor do mundo.

Muitos nomes brasileiros também tem destaque nesta área, e o Game Music Brasil – que rola na área aberta ao público da Campus Party com patrocínio da Petrobrás – traz vários destes artistas.

Dentro da chip music, vários estilos se desenvolveram ao redor da mesma ideia: tem os produtores mais clássicos, que se inspiram nas primeiras trilhas sonoras dos games antigos com a música tema do Super Mario, tem os gamewavers (com forte inspiração na new wave norte-americana) e também o NintendoCore, que apresenta composições mais underground usando unicamente produtos da Nintendo.

Quer se aventurar pelo mundo da Chip Music? Dê um pulinho na Campus Party e se divirta com os shows que acontecem diariamente e depois conheça alguns dos principais sites desta cena, como www.pixelmusic.org e o www.chippanze.org. Quem sabe você também é um produtor de música eletrônica e ainda não sabe?

Sem mais artigos