A conceituada revista Nature publicou um estudo de cientistas norte-americanos que dizem ter desenvolvido uma câmera num formato bem próximo ao do olho humano.

A invenção pode revolucionar a fotografia digital e levar ao desenvolvimento de um olho biônico. Os pesquisadores afirmam ter solucionado o antigo problema de como colocar componentes microeletrônicos em uma superfície curva para imitar a retina no olho humano, sem quebrá-los.

O material desenvolvido pelos pesquisadores forma um tipo de malha flexível, composta de pequenos quadrados que abrigam fotodetectores e componentes eletrônicos. Os quadrados são interligados por cabos que têm o equivalente a 1/100 da espessura de um fio de cabelo humano.

Os cientistas desenvolveram uma câmera de 2 centímetros de largura com uma única lente e um sistema de detecção de luz côncavo. Segundo os pesquisadores americanos, a tecnologia pode dar ensejo a uma nova geração de câmeras com imagens mais nítidas.

Sobre a possibilidade de um olho biônico, os pesquisadores afirmam que, para se ligar uma câmera ao cérebro humano para restaurar a visão, são necessárias mais pesquisas.
No futuro, contudo, eles esperam que estas membranas eletrônicas possam ser colocadas em volta de órgãos humanos e usadas para monitorar seu estado de saúde, dizem os cientistas.

Sem mais artigos