Após a disputa de quatro corridas pela atual temporada do Mundial de Fórmula 1 com quatro vitórias da Mercedes, três do britânico Lewis Hamilton e uma do alemão Nico Rosberg, as equipes tiveram três semanas para tentar evoluir e se aproximar da escuderia alemã no Grande Prêmio da Espanha, neste final de semana.

Rosberg lidera o campeonato, com 79 pontos, mas quem vem reinando em 2014 é Hamilton, que abandonou a prova de abertura da temporada, na Austrália, mas levou a melhor nas três seguintes, no Bahrein, na Malásia e na China.

Agora, o campeão de 2008 vai em busca de uma vitória inédita. Até agora, o melhor resultado do piloto britânico no Circuito da Catalunha, em Montmeló, foi um segundo lugar em 2007, seu ano de estreia na categoria, e em 2011.

“Não sei por que nunca ganhei em Montmeló. Algumas vezes a Ferrari foi muito forte, outras fui punido, como em 2012, que eu era pole position e acabei largando em último. Mas acho que este ano tenho a melhor chance. Tomara, porque adoro a Espanha”, declarou Hamilton.

Apesar das promessas de novos acertos e evoluções nas equipes concorrentes, o líder do campeonato destacou que não está relaxado com a soberania inicial da Mercedes, mas ressaltou que não tem o que temer.

“Não estamos acomodados confortavelmente, sabemos que temos mais trabalho a fazer. Somos os mais rápidos em retas, mas a Red Bull é muito rápida em curvas de alta, o que indica que provavelmente eles têm um pouco mais de ‘downforce’ que nós”, comentou.

De fato, Sebastian Vettel estreará um novo chassi da escuderia austríaca. Atual tetracampeão, o alemão é apenas o quinto colocado do Mundial, a 46 pontos de Rosberg. Mas a maior preocupação da Mercedes, segundo seu chefe, Toto Wolff, é outra escuderia. Questionado pela revista britânica Autosport qual a concorrente que representa uma ameaça maior, ele respondeu: “Acho que será a Ferrari“.

Porém, na equipe italiana, as expectativas não são boas. Mesmo correndo em casa, onde venceu em 2006 e no ano passado, o espanhol Fernando Alonso não acredita sequer em um lugar no pódio, mesmo depois do terceiro lugar no GP da China, há três semanas.

“Consegui terminar no pódio na China, mas ainda não estou em condições de dizer que brigarei pelo pódio aqui. Sabemos que será um final de semana difícil”, reconheceu.

Quem vê a corrida em Montmeló com um pouco mais de otimismo é o brasileiro Felipe Massa, que em 2014 conseguiu apenas dois sétimos lugares, o que o deixa na 11ª posição no Mundial.

“Já venci em Barcelona antes, o que é importante, pois significa que eu posso desfrutar da corrida um pouco mais. Sei o que é preciso para vencer no circuito, o que me dá um pouco mais de confiança”, disse o brasileiro ao site da Williams.

Sem mais artigos