Foram 11 participações sem triunfos até que o brasileiro Tony Kanaan (KV Racing) conquistou neste domingo (26), de forma histórica, a primeira vitória da carreira nas 500 milhas de Indianápolis, com direito a uma ultrapassagem na última volta sem bandeira amarela.

Na 97ª edição da tradicional prova, Kanaan brigou pela ponta durante quase todo o tempo com pilotos da equipe Andretti. Após um acidente do americano Graham Rahal (Rahal Letterman Lanigan), a corrida ficou interrompida até quatro voltas para o final.

Na relargada, o brasileiro ultrapassou o também americano Ryan Hunter-Reay (Andretti), assumiu a ponta e ainda contou com a sorte. O escocês Dario Franchitti (Ganassi) se chocou contra o muro, o pace car voltou à pista e as 500 milhas foram encerradas com bandeira amarela. A segunda posição foi do colombiano Carlos Muñoz (Andretti), o novato do ano, com Hunter-Reay em terceiro.

Kanaan, que largou em 12º lugar, se tornou o quarto brasileiro a subir ao lugar mais alto do pódio em Indianápolis. Antes, Hélio Castroneves (2001, 2002 e 2009), Emerson Fittipaldi (1989 e 1993) e Gil de Ferran (2003) já haviam feito a tradicional comemoração com leite.

Entre os outros representantes do país na corrida de hoje, Hélio Castroneves (Penske), enquanto Bia Figueiredo (Dale Coyne) completou em 15º lugar.

A edição de 2013 das 500 milhas teve 68 trocas na liderança, o que pulveriza o recorde anterior da prova, de 34, estabelecido no ano passado.

Além disso, a prova deste ano foi a mais rápida de toda a história, com uma velocidade média de 187,433 milhas por hora. A melhor marca era de 185,981, registrada pelo holandês Arieh Luyendyk em 1990.

Com ultrapassagem na última volta possível, Tony Kanaan vence em Indianápolis

Sem mais artigos