Cerca de 10% das conexões fixas de banda larga e 0,5% dos telefones celulares foram objetos de ataques de vírus ou de programas de espionagem no último trimestre, segundo um relatório publicado nesta terça-feira pela “Kindsight”, que adverte sobre um “forte aumento” destes tipos de riscos.

O fabricante franco-americano de equipamentos de telecomunicações Alcatel Lucent, casa matriz da Kindsight, destacou em comunicado que nesse período, 6% das redes domésticas sofreram ameaças de “alto nível” como “bots”, programas furtivos, vírus bancários de tipo troiano e outros que infectam os equipamentos, programas e aplicações.

O “mais virulento” foi o ZeroAccess, que infectou 0,8% dos usuários de banda larga.

Quanto aos dispositivos móveis, os mais atacados foram os que contam com o sistema Android e os computadores portáteis com Windows, bem diretamente conectados a um telefone, bem com um USB ou com uma rede wifi.

Uma porta-voz da Alcatel Lucent disse que os computadores com o sistema da Apple, assim como os iPhone receberam muito menos agressões.

Os especialistas da Kindsight também incorporaram ao estudo informações sobre a multiplicação de programas de espionagem nos dispositivos móveis.

Seu diretor, Kevin McNamee, contou que a empresa tinha desenvolvido um protótipo de programa de espionagem telefônico que pode ser introduzido em “quase qualquer aplicação de Android”.

Uma vez introduzido, desde um posto de comando em linha à distância ou pirata, é possível localizar o telefone, carregar as listas de contatos e as informações pessoais que contém, interceptar e enviar mensagens, gravar conversas e tirar fotografias. 

Sem mais artigos