A espanhola María de Villota, que foi por muito tempo piloto de testes da Fórmula 1, foi encontrada morta nesta sexta-feira (11) em um hotel de Sevilha, onde participaria de um ciclo de conferências, informaram fontes policiais que acreditam que a morte foi por causas naturais.

Fontes do serviço de emergências afirmaram que na manhã desta sexta receberam um aviso do hotel para prestar socorro a uma mulher jovem. Uma comissão judicial, agentes policiais de homicídios e da polícia científica foram até o local para investigar o ocorrido. As equipes de emergência atenderam a piloto, mas não conseguiram reanimá-la.

María de Villota nasceu em Madri no dia 13 de janeiro de 1980. Em julho de 2012, sofreu um grave acidente automobilístico enquanto fazia testes com um carro da escuderia Marussia no aeroporto de Duxford, na Inglaterra. Devido aos graves ferimentos no acidente, María perdeu um olho.

Filha do também ex-piloto de Fórmula 1 Emilio de Villota, María estava em Sevilha para participar de uma conferência para jovens universitários.

Ex-piloto de F1, María de Villota é encontrada morta em hotel na Espanha

Sem mais artigos
Sair da versão mobile