O Ministério Público Federal no Paraná (MPF/PR) cobrou nesta segunda-feira R$ 750 mil do Facebook por atrasar em quinze dias uma solicitação judicial que obrigava a rede social a fornecer dados sobre usuários investigados em um caso de pedofilia.

O Ministério Público ordenou que o Facebook revelasse os dados dos usuários investigados em 17 de agosto, mas até agora a rede social não forneceu o material solicitado.

As informações fazem parte de uma “importante investigação secreta em curso” sobre pedofilia, segundo afirmaram fontes do MP.

O Facebook afirmou que entregou a documentação solicitada na sexta-feira por meio da embaixada dos Estados Unidos em Brasília, que hoje estava fechada por ser feriado nos EUA e que por isso não enviou os dados não foram enviados.

Sem mais artigos