Uma reconstrução passo a passo da Guerra das Malvinas, a batalha travada entre Reino Unido e Argentina no ano de 1982, poderá ser acompanhada a partir desta quinta-feira no Facebook e no Twitter, uma ideia desenvolvida para marcar o 30º aniversário do conflito.

O Museu Nacional da Marinha Real em Portsmouth também desdobrará, junto com outros museus britânicos, a sequência dessa guerra através das mesmas redes sociais.

Amparados por uma espécie de “linha do Tempo” (timeline), as redes sociais apresentarão uma ordem cronológica que percorrerá todos os principais acontecimentos dos 74 dias deste conflito, que resultaram na morte de três habitantes da Ilha, 255 britânicos e 649 argentinos.

Os especialistas do Museu Submarino da Marinha Real em Gosport, o Museu de Marines e o Museu da Frota Aérea britânica também contribuíram no desenvolvimento desta reconstrução histórica.

O gerente de marketing do Museu Submarino da Marinha Real britânica, Bill Sainsbury, disse nesta terça-feira que “cada um dos museus do Museu Nacional da Marinha Real está envolvido nesse projeto para contar a história da última grande batalha naval do século XX, que, por sinal, terá uma perspectiva única”.

“Confiamos em que unidos, mediante Facebook e Twitter, podemos reproduzir os fatos exatamente como ocorreram há 30 anos”, completou o especialista.

A reconstrução da Guerra das Malvinas nas redes sociais também abordará os antecedentes prévios à invasão argentina ao arquipélago, datada no dia 2 de abril de 1982, e os desdobramentos da batalha, encerra no dia 14 de junho com a rendição do país latino-americano. 

Sem mais artigos