Uma mudança na política de uso do Facebook retirou o status de “pornografia e nudez” das fotos de mães amamentando seus bebês. Em nota explicativa da Central de Ajuda, a rede social diz concordar “que a amamentação no peito é algo natural e bonito. Ficamos contentes em saber que é importante para as mães compartilharem suas experiências com outras pessoas”.

A mudança só aconteceu após uma série de manifestações nas redes sociais em que os usuários pediam o fim da censura das imagens por meio da hashtag  #FreeTheNipple (#LibereOMamilo, em tradução livre). A iniciante do movimento foi a blogueira Paala Secor, que após postar uma foto em sua fanpage em que aparece dando de mamar à filha, lançou um desafio aos moderadores da rede social.

“Vocês dizem que permitem que mães em período de amamentação compartilhem suas fotos sem terem os mamilos cortados? Provem. Deixem isso no ar e vejam quantos milhares de pessoas vão visualizar e compartilhar”, escreveu a blogueira na legenda da imagem.

A foto, que teve mais de sete mil curtidas e 2 mil compartilhamentos, foi apenas o início do movimento que ganhou força na internet defendendo a liberdade feminina de mostrar os seios, seja para amamentar ou para fazer topless.

Apesar da repercussão, a foto de Paala foi excluída da rede social no dia seguinte em que foi postada. Mas agora, as regras do Facebook no item “nudez e pornografia” explicam que há uma exceção dada a imagens com “conteúdo de importância pessoal, sejam fotos de uma escultura, como Davi de Michelangelo, ou fotos de família da amamentação de uma criança”.

“É bom que o Facebook tenha finalmente respondido à preocupação das usuárias, que queriam nada além de capturar os momentos divididos com seus bebês. Esperamos que esta nova política ajude a reduzir o estigma relacionado às imagens de amamentação”, disse Paala em entrevista ao The Independent.

Sem mais artigos