Internauta incentivou crime terrorista na Bahia

Reprodução Internauta incentivou crime terrorista na Bahia

Um ato racista e xenofóbico por parte de uma internauta que diz, em seu perfil de Facebook, ser de Curitiba, chocou brasileiros que acompanhavam as notícias do atentado em Manchester, na Inglaterra, que matou 22 pessoas, das quais 16 são crianças e adolescentes, pelas redes sociais.

No próprio Facebook, a mulher enviou a seguinte mensagem: “só lamento que tenha sido em Manchester e não na Bahia. Seria lindo ver aquela gente nojenta e escurinha da Bahia explodindo”, escreveu ela, que deletou seu perfil no site após a repercussão.

Apesar de regras absolutamente rígidas com relação a esse tipo de comportamento, o Facebook não conseguiu identificar e punir a usuária antes que ela deletasse o perfil. O Virgula descobriu a o nome da criminosa e enviou uma mensagem pedindo um posicionamento, mas não obteve retorno. Decidimos preservar sua identidade para, ao contrário dela, não incentivar atos de violência.

Alguns internautas alertaram a Polícia Federal, que tem departamento especializado em atos criminosos na web, mas a corporação ainda não havia tomado qualquer atitude até a publicação desta reportagem.

Incentivo a atos de terrorismo é crime
De acordo com a PL 2016/15, do Executivo, que tipifica crimes de terrorismo, “pena de 4 a 8 anos e multa será aplicada a quem fizer publicamente apologia de fato tipificado como crime pelo projeto, ou de seu autor.” Além disso, segundo a lei 7.716/1989, Art 1º, “serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional. A pena é de reclusão de dois a cinco anos.”

Sem mais artigos